Vozes do Case – ep1: Márcia Araújo

Sinopse

No mundo de concreto do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) da Grande Florianópolis, onde vivem adolescentes infratores, existe um grupo de servidores que resiste à cultura da violência imposta desde o antigo São Lucas, instituição que ocupava o mesmo local e foi interditada em 2010, sendo demolida na sequência.

Construído em 2014, às margens da BR-101, em São José, na Grande Florianópolis, o Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) tem uma estrutura com nove alojamentos, quadra de esportes, ginásio coberto, espaço para oficinas, anfiteatro, centro de saúde, salas de aula e informática e horta.

São 8,4 mil m², cercados por muros de cinco metros de altura, e com capacidade para receber até 90 jovens – 70 com apreensão já decidida pela Justiça, e 20 provisórios, que pode ficar internados por até 45 dias. Com o novo prédio, o Case parecia adequado ao desafio de reeducar jovens condenados ou a espera de julgamento por alguma infração, conforme determina o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Mas a história não é tão simples.

Neste primeiro episódio, a assistente social Márcia Araújo, técnica do sistema socioeducativo, conta como foi trabalhar no antigo Centro Educacional São Lucas e os desafios do novo Case da Grande Florianópolis.

Esta é uma série de vídeo-reportagens produzida numa parceria entre a Retrato, a Coruja Filmes e o Farol Reportagem. Se você quiser saber mais, confira aqui as reportagens completas, com trechos de entrevistas em áudio, fotos e texto.

Sobre
Existimos para combater a invisibilidade social causada pelo desequilíbrio de histórias.

Deixe um comentário